Boa parte de um vasto material recolhido em muitos anos de pesquisas está disponível nesta página para todos os que se interessam em conhecer o futebol e outros esportes a fundo.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O “Dragão” dá a volta por cima

O Atlético Goianiense, um dos quatro clubes que se classificaram para a Série A do Campeonato Brasileiro de 2010 foi fundado em 2 de abril de 1937, com raízes no bairro de Campinas, na cidade de Goiânia, que acabara de ser fundada para ser a capital do estado de Goiás. Os fundadores do Atlético Goianiense foram: os irmãos Nicanor Gordo, primeiro presidente do conselho deliberativo, Alberto Alves Gordo e Afonso Gordo, Edson Hermano, primeiro goleiro do clube, João de Brito Guimarães, João Batista Gonçalves, Ondomar Sarti e Benjamim Roriz, entre outros.

O uniforme, com listras horizontais em vermelho e preto foi inspirado no Flamengo, do Rio de Janeiro e o escudo, no São Paulo F.C.. O símbolo do clube é um Dragão. O primeiro presidente do Atlético foi Antônio Accioly, que conseguiu o terreno para a construção do estádio do clube que leva o seu nome.

O primeiro campeonato goiano de futebol foi disputado em 1944 e vencido pelo Atlético. De lá para cá foram outros nove campeonatos estaduais conquistados, com destaque para o de 1957, quando foi campeão invicto. E por 21 vezes beliscou a taça, sendo vice-campeão.

A nível nacional, o Atlético Goianiense não tem do que se queixar, foi campeão brasileiro da Série C, em 1990, quando derrotou no jogo final ao América (MG), nos pênaltis, depois de 90 minutos em 0 X 0. Isso lhe deu o pioneirismo de ser o primeiro clube goiano a ganhar um título nacional importante. E em 2008, repetiu o feito. Antes, em 1971 já havia sido campeão do Torneio Integração, disputado por 16 equipes de diferentes estados, vencendo na partida final a Ponte Preta, de Campinas. Em campeonatos brasileiros da 1ª Divisão, a
melhor colocação foi o 21º lugar em 1980, entre 44 participantes.

Mas nem tudo foram flores na vida do clube. Em razão de más administrações o Atlético Goianiense passou por momentos de imensas dificuldades, e por pouco não enrolou a bandeira. Até o Estádio Antônio Accioly, patrimônio do clube sofreu com o descaso. Abandonado, acabou sendo demolido em 2001 para a construção de um shopping, mas um grupo de torcedores e a diretoria conseguiram embargar a obra. O pior aconteceu em 2003, quando pela primeira vez em sua história, o clube passou pela humilhação de cair para a segunda divisão do Campeonato Goiano, onde penou por dois anos.

Em 2005, quando assumiu o clube o presidente Valdivino José de Oliveira, o vice Maurício Sampaio, o presidente do Conselho, Marco Antônio Caldas, o ex-presidente Wilson Carlos e outros importantes beneméritos, o Atlético Goianiense deu a volta por cima: o estádio Antônio Accioly foi reconstruído e dentro de campo o time só deu alegrias, sagrando-se campeão do Acesso e garantindo o retorno a principal divisão do futebol goiano. Em 2006 o Atlético chegou a final do Campeonato Goiano contra o Goiás, com mais de 36.000 torcedores no Estádio Serra Dourada.

Em 2007, o Atlético venceu o Goiás por 2 X 1 no segundo jogo da decisão. No primeiro houve empate em 2 X 2, sagrando-se, depois de longos 18 anos campeão goiano perante 31.088 torcedores pagantes. No Campeonato Brasileiro da Série C, o time foi sexto colocado, por pouco não conseguindo subir para a Série B.

Em 2008 o Atlético conseguiu o acesso a Série B com quatro rodadas de antecedência , e para vibração de sua torcida, também o segundo título de campeão da Série C. O momento de graça do rubro-negro goiano atingiu o ponto máximo no último dia 21, quando classificou-se para a à Série A do Campeonato Brasileiro de Futebol, com uma vitória de 3 X 1 diante do Juventude, em pleno Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.

Nos seus 72 anos de existência, o Atlético Goianiense tem se mostrado em verdadeiro celeiro de bons jogadores para o futebol brasileiro. Entre outros, revelou Baltazar, o “Artilheiro de Deus”, recordista absoluto de gols em campeonatos goianos, tendo balançado as redes adversárias 31 vezes, em 1978. Depois jogou no Grêmio, Flamengo, Palmeiras, Goiás e Atlético de Madrid, da Espanha; Júlio César, o “Imperador”, que brilhou pelo Flamengo; Valdeir, o “The Flash”, ídolo no Botafogo; Gilberto, destaque e campeão pelo Fluminense no estadual do Rio de Janeiro, em 1980; Luiz Carlos Goiano, ex-Grêmio e atual técnico do Barueri; Lindomar, que brilhou no Gama, de Brasília e Romerito, atualmente no Goiás. (Pesquisa: Nilo Dias)

Uma das primeiras equipes do Atlético Goianiense. (Foto: Acervo do Atlético Goianiense)

COMENTÁRIOS DE LEITORES

Gilson disse...
Eu parabenizo o brilhante repórter pelo brilhante trabalho e gostaria imensamente pela sua desenvoltura em saber das coisas o seguinte;
Quais foram do DRAGÃO GOIANIENSE, os MASSAGISTAS e se possível também LAVADEIRAS, que ajudaram o clube no periodo da sua fundação que foi em 1937 até a data de 1970
Trata-se de uma pesquisa na qual estou fazendo, já que sou fã do DRAGÃO.
Antecipo meus agradecimentos e sei que voce irá me RESPONDER. abraço.:
1 de dezembro de 2009 18:01

Um comentário:

Gilson disse...

Eu parabenizo o brilhante repórter pelo brilhante trabalho e gostaria imensamente pela sua desenvoltura em saber das coisas o seguionte;

Quais foram do DRAGÃO GOIANIENSE, os MASSAGISTAS e se possível também LAVADEIRAS, que ajudaram o clube no periodo da sua fundação que foi em 1937 até a data de 1970
Trata-se de uma pesquisa na qual estou fazendo já que sou fã do DRAGÃO.
Antecipo meus agradecimentos e sei que voce irá me RESPONDER. abraço.: