Boa parte de um vasto material recolhido em muitos anos de pesquisas está disponível nesta página para todos os que se interessam em conhecer o futebol e outros esportes a fundo.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Ponce de Leon, o craque boêmio

Norival Cabral Ponce de Leon, ou apenas Ponce de Leon, foi um famoso atacante que defendeu as equipes do Botafogo do Rio de Janeiro, São Paulo, Palmeiras e Noroeste de Bauru (SP), nas décadas de 1940 e 1950. Era carioca, nascido em 28 de agosto de 1927. Boêmio inveterado, Fez constar em seu contrato com o time de Bauru uma clausula que lhe permitia sair para dançar pelo menos duas vezes por semana.

Quem o viu jogar garante que tinha muita qualidade dentro de campo. Os torcedores o chamavam de “diabo louro”. Além disso, não levava desaforo para casa. Bailarino de primeira linha freqüentava casas de shows, sempre elegantemente vestido com terno de linho e sapatos de duas cores. Contam que ele fazia incríveis coreografias, dignas de um Fred Astaire.

Em uma destas casas, trabalhava sua namorada e parceira preferida, Mirian. Diz a lenda que em determinada noite, quando estava concentrado para uma partida, foi avisado de que Miriam estava dançando muito com apenas um cliente. Não teve dúvidas em comparecer ao local, agredir o tal cliente e retornar ao hotel para entrar em campo no dia seguinte.

Mirian foi uma das primeiras namoradinhas, mas Ponce de Leon casou com dona Dulce Rosalina, considerada a torcedora símbolo do Vasco da Gama do Rio de Janeiro. Da união nasceu um único filho, conhecido como “Poncinho”.

Comentavam, na época, que quando Ponce de León atuava por outros clubes, nas ocasiões em que derrotava o Vasco era recebido pela esposa com agressões verbais, pois Dulce não admitia que o Vasco perdesse. Dulce Rosalina faleceu em 19 de Janeiro de 2004.

Segundo o Almanaque do São Paulo, de Alexandre da Costa, Ponce de Leon disputou 107 jogos pelo tricolor paulista, com 70 vitórias, 17 empates, 20 derrotas e 52 gols marcados. O jogador chegou ao São Paulo em 1948, junto de outro atacante, Santo Cristo ambos vindos do Botafogo carioca.

Na conquista do título paulista de 1948, jogo realizado no dia 18 de dezembro, no Pacaembu contra o Nacional, Ponce de Leon foi o grande destaque na vitória de 4 X 2, tendo marcado 2 gols.

Segundo o Almanaque do Palmeiras, de Mário Sérgio Venditti e Celso Unzelte, Ponce de Leon vestiu a camisa do “Verdão” em 64 jogos com 34 vitórias, 12 empates, 18 derrotas e 27 gols marcados. Ele chegou ao Palmeiras já veterano, vindo do São Paulo. Na final da Copa Rio de 1951, substituiu Aquiles, que estava machucado, e comandou o ataque palmeirense na brilhante conquista do título, decidido contra a Juventus de Turim no Maracanã.

Boêmio assumido faleceu pobre em um leito hospitalar. Seu corpo está sepultado no Cemitério São Paulo, em um mausoléu reservado as ex-atletas de todos os esportes, inclusive futebol. Nesse local também está sepultado Arthur Friedenreich, grande jogador da década de 1930. (Pesquisa: Nilo Dias)

Um comentário:

MARCO PONCE LEON disse...

Norival Ponce de Leon não era argentino e sim brasileiro.

Comentário de Marco Antonio Coimbra Ponce Leon, sobrinho do ex-jogador.