Boa parte de um vasto material recolhido em muitos anos de pesquisas está disponível nesta página para todos os que se interessam em conhecer o futebol e outros esportes a fundo.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

A fantástica Máquina de fazer gols (I)

O Frigorífico Atlético Clube, da cidade de Mendes (RJ), foi fundado no dia 7 de setembro de 1917 por funcionários da “Brazilian Meat Company”, precursora do Frigorífico Anglo. A razão social S.A. Frigorífico Anglo só foi adotada em 1941. Mas o futebol em Mendes começou a ser jogado em 1915, dois anos antes do surgimento do Frigorífico A.C., por iniciativa dos irmãos Alcindo e Nestor Fonseca, que organizaram os primeiros times na então vila.

Mendes já foi parte de Piraí , Vassouras e Barra do Piraí mas, graças ao seu grande crescimento econômico, conseguiu emancipação em 1952 , por força da Lei n.º 1.559, de 11 de julho daquele ano, e foi definitivamente instalado em 11 de janeiro de 1953 .

O primeiro campo de futebol foi construído em um terreno ao lado esquerdo da “Estrada de Santa Rita”, então um local nobre da vila, pela sua proximidade com o “Hotel Santa Rita”, onde se concentravam as atividades dos veranistas que lotavam as suas dependências. O primeiro jogo disputado pelo Frigorífico, que se tem noticia, foi realizado no dia 7 de setembro de 1919 entre duas formações do próprio clube, que serviu para inaugurar o campo de futebol da Vila Wesley e apresentar a banda de música recém-organizada.

Segundo uma tradição oral, na impossibilidade de adquirir as camisas aprovadas pela assembléia geral, nas cores vermelha e branca, que não existiam no mercado, o clube acabou optando pelas cores preta e branca, que se tornaram definitivas.

O Frigorífico não se limitou apenas ao futebol, foi responsável por uma notável obra de integração social no município. Seu time principal nunca se negou a participar de festivais beneficentes em favor de igrejas, bandas de músicas, instituições culturais, esportivas, assistenciais e de jogadores veteranos. Ainda no setor esportivo, organizava campeonatos internos de vôlei, basquete e futebol de salão, com a participação de vários bairros e entre empregados do Frigorífico Anglo, e associações diversas, alguns reunindo cerca de 200 participantes. Seus campeonatos infantis faziam vibrar a garotada de Mendes.

O Frigorífico Atlético Clube foi um dos pioneiros do futebol no antigo Estado do Rio de Janeiro. Nos anos 20 e 30 chegou a ser quase um mito, sendo considerado o melhor time do Estado, em razão de uma série de 27 partidas sem perder. Esse verdadeiro recorde foi interrompido pelo Fluminense em 1921. O time tricolor tinha na sua formação a maioria dos jogadores que haviam se sagrado tri-campeão carioca em 1919.

Esse jogo histórico foi idealizado por Henry Welfare, da “Brazilian Meat Company”, que jogava no Fluminense, onde foi um dos grandes goleadores. Welfare, que depois foi para o Vasco da Gama, também jogou várias vezes pelo Frigorífico. O Fluminense teve uma recepção calorosa em sua visita a Mendes, tendo sido oferecido ao elenco carioca um banquete na plataforma de embarques do matadouro-frigorífico, além de um cartão de prata, entregue momentos antes do jogo.

O Fluminense venceu por 2 X 1, acabando com a invencibilidade do Frigorífico, que durara 27 partidas. O jogo se constituiu num grande acontecimento social e esportivo. Pena que as fotografias que registraram o evento, e que se encontravam em quadros nas paredes do Estádio da Vila Wesley, tenham sido destruídas pela grande enchente de 1945, que causou profundos danos as dependências do clube.

Naquele histórico jogo o time do Frigorífico formou com Gastão - João Soares e Gramofone – Alcindo - Décio Monteiro e Chiquito - Jair Taubaté - Rômulo Guariento - João Guariento - Manoel Braga e Gasolina. O atacante Manoel Braga era filho do coronel Júlio Braga. Os irmãos Guariento procediam de um clube de Bangu, chamado Esperança, e acabaram eternizando esse apelido, que se transformaria numa legenda dentro do clube, e do qual Humberto Guariento foi um extraordinário continuador.

O Frigorífico conquistou o seu primeiro título oficial em 1933, quando venceu o Central por 1 X 0, na final do Torneio Início da Liga Esportiva Sul Fluminense, disputado em Barra do Piraí. Também venceu o mesmo Central, por 3 X 2, no jogo inaugural do Campeonato da LEFS. Em 10 de março de 1940 foi disputado o “Torneio do Cinquentenário”, vencido pelo Central.

No dia 18 de abril, o então prefeito Paulo Fernandes, reuniu todos os clubes do município, para a fundação da Liga Atlética de Barra do Pirai, que depois mudou a denominação para Liga Desportiva de Barra do Piraí. Os clubes fundadores foram América, Brasil, Central, Fábrica, Frigorífico, Itacolomy (atual Cipec E.C.), Royal, Santana, Sublime e 1º de Maio.

Em 1943 o Frigorífico fez uma campanha espetacular, marcando 78 gols e sofrendo apenas 21, em 18 partidas do campeonato, com a fantástica média de 4,3 gols por jogo, com 17 vitórias e um empate, sagrando-se campeão barrense. O último jogo foi contra o Central, em Mendes, e terminou 4 X 0, com gols de Ramos (2), Tandão e Mascote.

A equipe campeã formou com: Bananada - Didi e Lourival – Robeval - Pedrão e Bibi – Mascote – Barbosa - Zé Magro - Ramos e Rubi. O time que disputou esse campeonato é considerado por muitos o melhor time Frigorífico de todos os tempos, e até mesmo do próprio futebol fluminense da época.

Na semifinal do Campeonato Estadual de Clubes Campeões de 1943, organizado pela Federação Fluminense de Desportos, o Frigorífico empatou em Mendes por 3 X 3 com o Icaraí F.C., de Niterói, atuando quase todo o segundo tempo com apenas 10 jogadores. No jogo de volta, no estádio Caio Martins, o Frigorífico vencia o Icaraí por 3 X 2 na prorrogação (2 X 2 no tempo normal) quando o jogo foi interrompido em virtude de um conflito iniciado por dirigentes e torcedores do time niteroiense, que invadiram o gramado inconformados com o terceiro gol alvinegro.

Depois, em decisão que ninguém entendeu,o Tribunal de Justiça Desportiva da FFD deu os pontos da partida para o Icaraí, que foi considerado campeão. No Campeonato estadual de 1943 a equipe somente entrou na Segunda Fase, sendo eliminado na fase seguinte.

O profissionalismo no futebol do então Estado do Rio de Janeiro começou em 1952, por determinação da Federação Fluminense de Desporto, o que provocou muita discussão. Uns entendiam que a medida fortaleceria o futebol fluminense, enquanto outros achavam que se tratava de manobra centralizadora de poder, destinada a acabar com as ligas municipais.

Naquele mesmo ano foi criado o Departamento Estadual de Profissionais, ao qual logo aderiram os principais clubes de Barra Mansa, Nova Iguaçu, Paracambi, Paraíba do Sul, Resende, Três Rios e Volta Redonda. De Barra do Piraí, aderiram inicialmente o Adrianino e o Central. Só em 1953, Frigorífico, Royal e 1º de Maio ingressaram no profissionalismo, juntamente com o Fluminense, de Vassouras, e os clubes de Valença.

O profissionalismo dos times do interior logo se mostrou altamente nefasto aos clubes, que na maioria faliram. Para completar, os jogos do Campeonato Carioca eram transmitidos pelas rádios, esvaziando os estádios nas pequenas cidades.

No Estadual de 1954 a equipe ficou no grupo da 2ª Zona junto com 1° de Maio de Piraí, Adrianino de Eng° Paulo de Frontin, Brasil Industrial e Tupy de Paracambi e Central e Royal de Barra do Piraí. O alvi-negro não se classificou, passaram de fase apenas Brasil Industrial, Central e Royal. (Pesquisa: Nilo Dias)

Time do Frigorífico Mendes Club que inaugurou a arquibancada do estádio da Vila Vesley, em 1920. Da esquerda para a direita, de pé: Murilo Neves - Augusto dos Santos - João Soares - Gastão - Nestor Fonseca, Ambrose Evelyn Moore e Thomaz Santos; ajoelhados: Chiquito - Décio Monteiro e Gramofone. Sentados: Jair Taubaté - Rômulo Guariento - João Guariento - Manoel Braga e Alcindo Fonseca. (Foto: Acervo do Frigorífico A.C.)

3 comentários:

Diogo de Oliveira Paula disse...

Olá, Nilo!
Excelentes matérias sobre o Frigorífico! Eu tenho um blog sobre o Barra Mansa Futebol Clube... Lá posto muitas informações (resultados, gols, títulos). Será que poderíamos compartilhar dados? Aguardo resposta... Abraços...

Diogo Henrique disse...

Obrigado Nolo por divulgar minha matéria e a história fantástica história do Frigorífico A.C.
www.colecaodeclubes.com.br

Ricardo Garcia Roza disse...

ppodia citar a fointe? Uma História Gloriosa - 1917-1972 Frgorifico Atletico Clube, ROZA, Nilo Garcia da